Últimas

Teatro Gamboa Nova recebe a artista Paula Lice no projeto Prata da Casa


A encenadora, dramaturga e atriz Paula Lice celebra seus 20 anos de teatro com uma ocupação do Teatro Gamboa Nova, de 01 a 16 de junho, dentro do projeto Prata da Casa. Para comemorar uma produção artística intensa, será oferecida uma programação com quatro espetáculos assinados pela diretora: Santa Maravilha Recebe, Criança viada ou de como me disseram que eu era gay, Parece Bolero e Para o Menino Bolha, além de lançamento do livro-baralho Pequeno Oráculo Invisível de Crianças Imaginadas, oficina e instalação artística.
Com uma produção artística intensa, as criações de Paula Lice transitam entre o teatro, o audiovisual com obras premiadas como o curta Jessy, dirigido ao lado de Rodrigo Luna e Ronei, a literatura infanto-juvenil e a academia. A ocupação apresenta a diversidade das obras da artista, que se espraiam alcançando públicos das mais diferentes idades. O convite do Gamboa Nova para a ocupação do palco pela artista se deu pela longa parceria com espaço, passando pela casa com espetáculos (em 2018, foram quatro montagens em temporada no teatro).
A programação apresenta trabalhos autorais da artista, em vertentes que alcançam públicos de todas as idades. “Em Para o Menino Bolha, é um trabalho no qual materializo muito do que penso para o diálogo com a infância. Enquanto nos espetáculos solo Santa Maravilha Recebe e Parece Bolero, mostram o trabalho de atriz e em que horizonte se dão minhas crenças de autoria. Já Criança Viada, é um trabalho em que assinei direção e a dramaturgia em parceria com Vinicius Bustani, que também expressam visão de mundo e colaboração” afirma Paula Lice, apresentando o conjunto da programação que também contará com a exibição dos filmes Jessy e Miúda e o guarda-chuva, parceria com Victor Cayres.

Magia, Performance e Jogo – A ocupação será aberta no dia 01 de junho, sábado, a partir das 18h, com uma noite de programação intensa: abertura da instalação Santa Maravilha Recebe, apresentação do filme Jessy, seguida do espetáculo Santa Maravilha Recebe - Entrevistas Performágicas, (às 19h) e lançamento do livro-baralho Pequeno Oráculo Invisível de Crianças Imaginadas (às 21h). Ao longo do mês de junho, será possível visitar o espaço do Teatro Gamboa Nova e ver a reedição da exposição “Santa Maravilha”, que ocupou a sala da Galeria Entre, projeto de Alexandre Guimarães.

Nos dias 01, sábado, às 19h e domingo, às 17h, será apresentado o jogo-espetáculo Santa Maravilha Recebe - entrevistas performágicas. Como o nome já revela, promove um encontro entre performance e magia. A cada apresentação, Paula Lice recebe convidados para uma entrevista, que tem como disparador e fio condutor o oráculo criado pela própria atriz. “Cruzamos o estudo dos arquétipos de diversos sistemas oraculares as minhas personagens da ficção do coração”, como explica Paula Lice, que tem inspiração na figura de Elke Maravilha. Cada apresentação tudo se reconfigura, tendo em vista que os entrevistados mudam e novas cartas poderão ser retiradas, o que altera a dinâmica da obra. Nesta curtíssima temporada, os convidados são o poeta Alex Simões e a atriz Márcia Andrade.
Outra novidade é o lançamento do Pequeno Oráculo Invisível de Crianças Imaginadas, um livro-baralho, que reúne as cartas do jogo-espetáculo “Santa Maravilha Recebe - entrevistas performágicas”. Nesse misto de obra literária e tarô, estão disponíveis textos de Paula Lice e ilustrações de Lia Cunha, que também assina a editoração através da Duna Editora. O livro também conta com a colaboração dos artistas Felícia de Castro e Tiago Ribeiro. A publicação estará disponível para venda ao longo do mês na lojinha, que será instalada no Teatro Gamboa Nova, no valor de R$35,00. Outras publicações da autora também estarão à venda durante a ocupação, a exemplo dos livros A Gilafa e Miúda e o Guarda Chuva, ambas obras literárias dedicadas ao público infantil.

Retrospectiva Espetáculos - Criança Viada ou de como me disseram que eu era gay retorna ao palco do Gamboa Nova, com apresentações nos dias 5, 6 e 7 de junho, às 19h. Primeiro solo da carreira do ator Vinicius Bustani, o espetáculo discute o tema do preconceito fruto da homofobia e suas implicações na vida de uma pessoa LGBT desde a infância até a vida adulta e lança mão do gênero documental para falar sobre o isolamento que se impõe às crianças e adolescentes que não se enquadram nos padrões de comportamento heteronormativos. O espetáculo propõe, desde o título, uma reflexão sobre a homofobia velada e naturalizada nas nossas relações cotidianas. Se a livre expressão de gênero não tem implicação na orientação da sexualidade, a Criança Viada vem para estimular a sensibilidade crítica, em busca de acolhimento e empatia.

Nos dias 8, 9, 16 e 17 de junho, sábados e domingos, às 17h, a programação traz o espetáculo infantil Para o menino bolha. A peça conta a história de duas crianças que não sabem fazer amigos e um dia se encontram através de um amigo imaginário em comum: a Girafa. A peça apresenta um encontro de amizade entre Maria da Graça e Pedro. Ela não sabe muito bem como fazer amigos de verdade, convive com sua pequena família e conversa muito com a Girafa, seu único confidente. Já Pedro é um menino que não toma sol, não sabe andar de bicicleta e tem medo de sair de casa.
Como atriz, Paula Lice retorna ao palco com o solo Parece Bolero, um espetáculo que reúne teatro, dança e música. Uma aula de dança diferente, na qual, entre passos, histórias suas e de seus alunos, Gracinha conversa sobre a vida, o casamento e as várias faces do amor, envolvendo o público em suas experiências e paixões, pelo bolero e pelo melodrama. Uma grande referência estético-poética da peça é a série Anos Dourados, de Gilberto Braga e o público poderá conferir as apresentações nos dias 12, 13 e 14 de junho, às 19h.

Oficina – Nos dias 08 e 15 de junho, das 9h às 13h, Paula Lice ministra a oficina Corpo e escrita de si, voltada para artistas que estejam interessados em discutir seus processos de criação, oriundos da dança, teatro ou performance, assim como da literatura, das artes visuais, vídeomakers, fotógrafos e estudantes em geral. A oficina busca explorar a ideia de "escrita de si", recortando referências como bio-drama e teatro documentário, para abrir um espaço de construção de registros auto-ficcionais possíveis. Para tal experimentação, a oficina estabelece diálogos entre a experiência de processos colaborativos, dramaturgia e corpo. São oferecidas 10 vagas e as inscrições são realizadas por meio de envio de currículo resumido e carta de intenções para o email  producaopequenasala@gmail.com até 05/06. O valor de colaboração para atividade é de R$50,00.

CineGamboa – Roteirista e diretora, Paula Lice destacou-se no audiovisual baiano com obras premiadas tanto na linguagem documental, quanto na animação. Nos dias 01, sábado, às 18h e 02 de junho, domingo, às 17h, será possível ver o curta metragem Jessy, dirigido ao lado de Rodrigo Luna e Ronei Jorge e revela a criação de Jéssica Cristopherry, alimentada pelos desejos transformistas da atriz e mulher Paula Lice. Com o auxílio luxuoso de cinco das mais respeitadas transformistas da cena soteropolitana atual, Rainha Loulou, Mitta Lux, Valérie O’hara, Carolina Vargas e Gina d’Mascar, o passo-a-passo da montagem da personagem vai se desnudando e se revelando como uma homenagem ao trabalho dos atores que investem e acreditam no transformismo como arte. A obra gerou como desdobramento o reality show Drag Me As A Queen, do Canal E!, co-criação de Paula Lice e Amadeu Alban (Movioca Produções).
Nos dias 08, 09, 15 e 16 de junho, aos sábados e domingos, a partir das 17h, crianças e adultos poderão assistir o episódio-piloto da série de animação Miúda e o guarda-chuva. Depois da estreia nos palcos baianos, a obra ganhou versão para TV, produzida pela Santo Forte, com desenhos de Igor Souza e direção de Amadeu Alban e Jorge Alencar. O episódio-piloto de série de animação foi contemplado pelo ANIMATV e estreou na TV Cultura e na TV Brasil em janeiro de 2010. A animação foi selecionada para a mostra oficial do Festival Internacional du Film D’Animation de Annecy, o Animamundi (RJ, SP), o Animaí (BA), o Festival Internacional de Cinema Infantil (RJ) e o Animagem (PE), entre outros.

Miúda alimenta diariamente sua planta carnívora com formigas. Cansadas de serem comidas, elas arquitetam um plano secreto, cheio de fatos extraordinários, guarda-chuvas e poesia. A série MIÚDA E O GUARDA-CHUVA se propõe a trabalhar com uma linguagem metafórica que conta com o espaço co-criativo e co-autoral do espectador. Com uma atmosfera minimalista, que oscila entre a melancolia e a comicidade, a animação opta pela diversidade de sentidos, de forma não maniqueísta, para tratar de temas como solidão, afetividade e transformações.
Serviço
PROGRAMAÇÃO PRATA DA CASA - PAULA LICE
  • 01/06, sábado, a partir das 18h
 Santa Maravilha Instalação Entre (às 18h) + CineGamboa (exibição do documentário Jessy às 19h) + espetáculo Santa Maravilha + Recebe Lançamento do “Pequeno Oráculo Invisível de Crianças Imaginadas”
  • 02/06, domingo, a partir das 17h
CineGamboa Jessy + Santa Maravilha Recebe
  • 05, 06 e 07/06, quarta, quinta e sexta-feira, a partir das 19h
Criança viada ou de como me disseram que eu era gay 
  • 08/06, sábado, das 9h às 13h
OFICINA: Corpo e escrita de si
  • 08/06, sábado, a partir das 17h
CineGamboa Miúda e o Guarda-chuva + Para o menino-bolha  
  • 09/06, domingo, a partir das 17h
CineGamboa Miúda e o Guarda-chuva + Para o menino-bolha
  • 12, 13  e 14/06, quarta, quinta e sexta-feira, às 19h
Espetáculo Parece Bolero
  • 15/06, sábado, das 9h às 13h
OFICINA: Corpo e escrita de si   
  • 15 e 16/06, sábado e domingo, a partir das 17h
CineGamboa Miúda e o Guarda-chuva + espetáculo Para o menino-bolha          

Os ingressos para os espetáculos custam 20 R$ (inteira) e 10 R$ (meia entrada) – à venda na bilheteria do teatro ou pelo site https://www.sympla.com.br/pequenasaladeideias
 

Comentários