Últimas

Ações do Instituto Sabin impactam 60 mil pessoas na Bahia


Com o propósito de realizar ações que contribuam para a melhoria da qualidade de vida de comunidades e pessoas em vulnerabilidade social e/ou econômica, o Instituto Sabin, em 2018, impactou mais de 60 mil pessoas em Salvador, Camaçari e Santo Antônio de Jesus, por meio de projetos e eventos de responsabilidade social. Entre eles estão instalação de Ludotecas, ambiente propício para o acompanhamento de crianças e adolescentes vítimas de violência, academias de ginástica em praças públicas, atendimento às creches Sildudu, Neojibá, Clara Amizade (Salvador) e GESCA (Santo Antônio de Jesus), além de corridas, campanhas de arrecadação de livros e alimentos, mutirões de coleta do Projeto Criança e Saúde, que faz exames de análises clínicas em crianças e palestras.

Para a Presidente Executiva do Sabin, Lídia Abdalla, o Instituto é um pilar importante do Grupo Sabin, uma forma de contribuir e devolver à sociedade a confiança de todos os nossos stakeholders. “Responsabilidade socioambiental está entre nossos valores e nesses mais de 10 anos de atuação do Instituto temos muito orgulho de assistir a comunidade e também inspirar e apoiar o desenvolvimento e a gestão de outras instituições e negócios de impacto social”, explica.

O Gerente Executivo do Instituto Sabin, Fábio Deboni, acredita que é preciso que as empresas atuem de forma relevante também na área social. “É necessário ter um impacto real na vida das pessoas, além de sermos o local que elas escolhem para realizar seus exames. É pensando dessa forma que o Instituto Sabin realiza cada projeto, atuando nas áreas de saúde, inovação social e esporte”, lembra.

No Brasil, o trabalho do Instituto Sabin impactou mais de 900 mil pessoas, realizando e apoiando mais de 120 eventos de responsabilidade social em várias cidades brasileiras. O valor investido na área social foi maior que 4,5 milhões de reais. A instituição, criada em 2005 e sem fins lucrativos, atua nas cidades em que o Grupo Sabin de  Medicina Diagnóstica está presente.

Entre os principais projetos de 2018 da instituição estão a construção de academias de ginástica em parques e locais públicos, o apoio a 13 atletas e grupos desportivos, a construção de 18 espaços voltados para o atendimento a crianças e jovens que sofreram algum tipo de violência, além de concessão de mais de 60 mil exames gratuitos a pessoas e organizações sociais em vulnerabilidade socioeconômica.

Em 2019 o foco das ações será a inovação social. No ano passado foi criado em parceria com a Phomenta, aceleradora de ONGs, um programa de aceleração para organizações já eram atendidas pelo instituto e que prestavam serviços de promoção de saúde e prevenção de doenças a jovens. As apostas serão no projeto “Eu errei”, em que empreendedores sociais contarão suas histórias de superação em erros durante a trajetória e também uma plataforma de crowdlending para ONGs.

Comentários