Últimas

Erotismo marca “O Livro das palavras malditas”, estreia de Carollini Assis na literatura

“O Livro das palavras malditas”, obra de estreia de Carollini Assis na literatura, já pelo título desperta curiosidade. São 73 páginas de poemetos, em versos livres e curtos, que deixam ao leitor a interpretação através das elipses e da imaginação. O lançamento será no próximo sábado, dia 20 de agosto, das 17 às 20h, no Hauss Kafee do ICBA/ Goethe-Institut, no Corredor da Vitória.

O leitor vai se surpreender com a ousadia e a sensibilidade de quem domina as palavras e as coloca a serviço do prazer feminino, da crítica à santificação da mulher, à submissão e dogmas religiosos, tudo isso perpassando casualidades comuns à natureza humana. “Minha escrita é, toda ela, fruto da minha observação do outro. Eu escuto casos de amor, violências que as mulheres sofrem em seus processos de empoderamento e no dia-a-dia, as dores, alegrias, fragilidades e superação. Trago esse repertório para o livro, tentando traçar um panorama entre três aspectos da natureza feminina que mais me chamam atenção: o religioso, o das relações amorosas e o das casualidades rotineiras”.


Segundo a autora, a inspiração para o título veio da observação de uma amiga a um poema que ela havia escrito. “Ela exclamou que era um poema maldito. Como fã de Hilda Hilst, lembrei de uma frase dela: ‘fico besta quando me entendem’, mas segui. Fiquei na dúvida se a palavra se referia àquilo dito de maneira equivocada ou a algo fadado à maldição. Usando dessa homofonia, trago sentidos também duplos nas poesias. Percebi que o sexo, o autoconhecimento, a descoberta do prazer, ainda são assuntos tabus e malditos. Eu encontrei o meu caminho no desafio de tratar o sexo e o erotismo como reflexão e não apenas como um libelo  ao prazer”, afirma Carollini Assis.

Editado pela baiana Mondrongo, o lançamento de O Livro das Palavras Mal Ditas marca os 5 anos de existência da microeditora, que também lança no mesmo dia os livros “Não se vai sozinho ao paraíso”, de Állex Leilla e “A solidão mais funda”, obra poética de Ângela Vilma.

Carollini Assis, que é jornalista por formação, afirma que a escrita sempre esteve presente em sua vida. “Eu transito por linguagens como o jornalismo, o cinema e a literatura, que são divergentes. O livro, por exemplo, tem prefácio de Orlando Senna, que assim como eu trabalhou como jornalista e é escritor e cineasta. Sempre tive certeza que meu caminho é o da escrita, embora seja uma ardorosa admiradora das imagens em movimento. Mas, mesmo no cinema e na televisão escolhi trabalhar com o textual, os roteiros. Portanto, aqui estou, para cumprir meu caminho literário”.

Sobre a autora
Carollini Assis é jornalista formada pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). Especialista em Roteiros para Tv e Vídeo, além da televisão e do cinema, sempre flertou com a literatura e com a poesia. Foi diretora da Associação Baiana de Cinema e Vídeo, presidente do Colegiado Setorial do Audiovisual da Bahia. Em 2012, ganhou o Prêmio Lauro de Freitas de Literatura com o conto "O Canto do Silêncio". Dois livros seus estão no prelo: "A Santa que geme nas estações", de contos eróticos, e "Produção: entre a comunidade e a televisão", sobre a atividade de produção para telejornalismo. Atualmente é produtora do Núcleo de Conteúdos Especiais da TV Aratu/ SBT Bahia.

Serviço
Lançamento de “O Livro das palavras malditas”, de Carollini Assis
Data: 20 de agosto (sábado)
Horário: Das 17h às 20h
Local: Hauss Kaffee (ICBA/ Goethe Institut) - Av. 7 de Setembro, 1809, Corredor da Vitória
Estacionamento gratuito (entrada pelo Vale do Canela)
Valor: R$ 30

O Livro das palavras malditas
1ª ed. – Itabuna: Mondrongo, 2016.
73 páginas
20×20 cm
ISBN 978-85-5557-046-9
Preço de capa: R$ 30

Conheça mais:
www.mondrongo.com.br
https://www.facebook.com/carolliniassis1307

Comentários