Últimas

Produção baiana ambientada na redemocratização política é selecionada para Festival de Brasília


Totalmente produzido em Salvador e ambientado em 1984, quando o país foi às ruas pedindo eleições diretas para presidência da República (Diretas Já), o filme “Depois da Chuva” foi selecionado para o 46º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, na categoria longa-metragem de ficção. Um dos mais tradicionais e importantes do país, o festival acontece de 17 a 24 de setembro, contemplando cinco categorias competitivas, com seis filmes cada.

Exibida como “work in progress” nos festivais de Cannes e de Cinema Independente de Buenos Aires (Bafici), a produção dialoga intensamente com o momento atual do país, marcado pelos protestos que levaram a população novamente às ruas, em busca de uma participação mais efetiva na vida política. Realizado pela produtora Coisa de Cinema, dirigida por Cláudio Marques e Marília Hughes, “Depois da Chuva” traz a atmosfera dos anos 80, com o começo da epidemia da Aids, a força do punk-rock e a ameaça de uma guerra nuclear.

É com este pano de fundo que a trama apresenta Caio, um adolescente de espírito libertário que vive seu despertar político e amoroso durante a euforia causada pelo término da ditadura. “Havia uma rara sensação de liberdade naquele momento”, conta Marques, autor do roteiro de inspiração autobiográfica. Mas a confiança que dominava o país não durou muito tempo: as eleições diretas não aconteceram, os conchavos políticos ganharam espaço e Tancredo Neves morreu.

“Todo este processo nos levou a uma sensação de impotência muito grande”, recorda Marques. A ambientação histórica, no entanto, não significa que “Depois da Chuva” fale de situações datadas. “O que estamos vendo nas ruas hoje é o resultado de um processo mal feito de formação da nossa democracia. A Nova República nasceu com a mesma cara do regime militar no poder”, conclui Marília.

Em fase de pós-produção e iniciando sua carreira em festivais como obra finalizada, o filme terá distribuição da Espaço Filmes, de Adhemar Oliveira, e deve chegar aos cinemas em 2014, quando o movimento Diretas Já completa 30 anos.

“Depois da Chuva” é o primeiro longa-metragem de Cláudio Marques e Marília Hughes, diretores de seis curtas-metragens que acumulam 39 premiações e 150 participações em mostras e festivais. O projeto foi viabilizado pelo Edital de Baixo Orçamento do Ministério da Cultura (R$ 1,2 milhões) e do governo do Estado da Bahia (R$ 200 mil) e filmado durante cinco semanas entre junho e julho de 2012.

Comentários