Últimas

IPAC e Oi Kabum! lançam Galeria Virtual do 2 de Julho


Quem quiser que fotos de sua autoria, feitas hoje sobre o Cortejo 2 de Julho, em Salvador, ganhem divulgação ampla para o mundo, via Internet, tem agora um veículo mais que especial. Já está em pleno funcionamento a Galeria Virtual 2 de Julho que reunirá fotos da manifestação popular mais emblemática das lutas pela independência da Bahia. Os interessados devem enviar as fotos para o endereço eletrônico galeria2dejulho@ipac.ba.gov.br.
A iniciativa acontece graças a parceria entre a Escola de Arte e Tecnologia Oi Kabum! e do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC), da Secretaria de Cultura do Estado (Secult-BA). O IPAC foi o órgão estadual responsável pela criação do dossiê que permitiu o Cortejo do 2 de Julho se tornar oficialmente um Patrimônio Cultural Imaterial da Bahia via decreto governamental nº10.179/06.

De acordo com a diretora de Preservação do Patrimônio do IPAC, Elisabete Gándara, como o cortejo é reconhecido bem cultural a instituição passa a ter ações de proteção à manifestação. “Além da parceria com a ONG OI Kabum! com um site-galeria, uma exposição e as atividades educativas, o IPAC promove ainda uma premiação para as fachadas de imóveis mais bem decoradas”, diz Gándara.

EDUCAÇÃO – A Oi Kabum! tem sede no Terreiro de Jesus, no coração do Centro Histórico de Salvador, por onde passa o cortejo. “Desde o ano passado já desenvolvemos o ‘Projeto 2 de Julho: Resistência e Identidade Popular’ que contribui para integrar cultura e educação como orienta a Lei 11.645/08 que estabelece inserir os conteúdos de História e Culturas Afro-Brasileira e Indígena no currículo das escolas brasileiras, com linguagem adequada aos jovens”, explica a coordenadora geral da Oi Kabum! Isabel Gouvêa.
A galeria virtual do IPAC/Oi Kabum! foi criada como um site por alunos de web designer da ONG reafirmando as atividades centradas na cultura com a educação. Serão cinco seções temáticas para as fotos: Prédios Históricos, Fachadas Decoradas, Manifestações Culturais, Personagens e Volta da Cabocla. Segundo Elisabete Gándara, os fotógrafos do instituto irão selecionar as fotografias, distribuindo-as por tema. Cada seção contará com 80 imagens, totalizando 400 fotografias em toda a galeria.

As imagens devem apresentar resolução igual ou superior a 800 pixels x 72dpi, equivalente a 72dpi x 30cm no lado maior, para que seja garantida a qualidade necessária para exibição em cor-luz (tela de dispositivos eletrônicos).

PROGRAMAÇÃO – Além da galeria, o IPAC retomou a Premiação de Fachadas Decoradas do Cortejo 2 de Julho (da Lapinha à Praça Municipal), que até então era promovida pela Prefeitura de Salvador e que não acontecia desde 2010. Os resultados das melhores fachadas com os premiados serão divulgados até meados deste mês (julho/2013).

A partir de amanhã (03) até dia 5 o IPAC também participa da Feira de Livros `Ao pé do Caboclo´, da Fundação Pedro Calmon, que funcionará das 14h às 18h, no Campo Grande. Nesta feira, será montado balcão para venda das publicações do instituto sobre bens culturais baianos – materiais e imateriais – e museus do órgão. No dia 05, acontece a “Volta da Cabocla”, fazendo o percurso inverso – do Campo Grande à Lapinha – com distribuição de material promocional e educativo.

Informações sobre a Premiação estão disponibilizadas no regulamento acessado (  http://www.ipac.ba.gov.br/downloads ) via primeira página do site   www.ipac.ba.gov.br , na seção Download e depois na ‘Geral’, achando o título ‘Premiação de Fachadas Decoradas – 2013’. Outros dados sobre o IPAC via sua Gerência de Patrimônio Imaterial (GEIMA) nos telefones (71) 3116-6741 e 3116-6828 ou do endereço eletrônico geima.ipac@ipac.ba.gov.br. Fique informado via site   www.ipac.ba.gov.br , Facebook Ipacba Patrimônio e Twitter @ipac_ba.

Box 1 - Cortejo 2 de Julho: O Cortejo 2 de Julho reproduz o mesmo trajeto que a tropa libertadora brasileira fez ao entrar na Cidade do Salvador, em 1823, conquistando-a da tropa portuguesa. O cortejo se tornou uma manifestação popular ao longo dos anos e, em 2006, foi oficialmente reconhecido pelo Estado, através do IPAC, como um Patrimônio Cultural Imaterial da Bahia. Em seu trajeto, o cortejo percorre lugares que foram palcos das lutas pela Independência, incluindo a área onde se situa o Conjunto Arquitetônico da Soledade, Patrimônio Material da Bahia desde 1981. Este conjunto foi tombado a partir do reconhecimento de sua importância no contexto do tecido urbano da cidade, por ter sido o mais importante acesso norte no século XVIII, ligando a zona dos Currais Velhos (Barbalho) à Estrada das Boiadas (Estrada da Liberdade), por onde entraram as tropas brasileiras que iriam consolidar o movimento libertador.
Box 2 – Patrimônio: A palavra patrimônio vem de pater, que, em latim, significa pai. Patrimônio é o que o pai deixa para seus filhos. São as riquezas e as propriedades que ficaram como herança para a família e/ou para cidade. O patrimônio histórico de uma cidade ou de um país são todos os elementos construídos pelo homem e apropriados pela sociedade, como as casas, prédios, palácios e fortificações. Assim todos esses e demais elementos representativos, que contam a história de um lugar, as tradições e as maneiras de ser de um povo, são chamamos de patrimônio cultural. Os bens imateriais ou intangíveis são as manifestações culturais: festas, danças, cantos, cultos afros, procissões, feiras, crenças populares, etc. São também os ofícios, a maneira do fazer determinados produtos, de construir objetos e de cozinhar determinadas iguarias. São as formas tradicionais de expressão e do fazer de um povo. A legislação estabelece normas e critérios para proteção dos bens culturais. O patrimônio material é geralmente protegido através do tombamento e o imaterial através do registro.  São instrumentos previstos em lei, adotados pelo IPAC, no caso da proteção estadual, e pelo IPHAN, quando a proteção for de interesse nacional.
Box 3 - Oi Kabum!: A Escola de Arte e Tecnologia Oi Kabum! oferece a jovens de comunidades populares urbanas, estudantes ou egressos da rede pública, formação em cursos de design gráfico, computação gráfica, vídeo, fotografia e web design. Com unidades em Belo Horizonte, Recife, Rio de Janeiro e Salvador, o programa dura 18 meses e tem como proposta fazer com que os jovens se apropriem das tecnologias da comunicação e da informação em processos criativos, podendo assim atuar nos campos de trabalho artístico e cultural. Anualmente, a Oi Kabum! forma cerca de 350 jovens em suas quatro unidades. Em 2010, o programa obteve o prêmio `A Rede´, na categoria Capacitação, da Modalidade Setor Privado. Já em 2012, o programa recebeu o prêmio `Construindo a Nação´, promovido pelo Instituto da Cidadania Brasil junto com a CNI-SESI, na categoria políticas públicas. Em Salvador, a Oi Kabum! funciona em parceria com a Cipó Comunicação Interativa, no Largo Terreiro de Jesus, no Centro Histórico da cidade.

Comentários