Últimas

Dois homens são mortos durante manifestação homofóbica no Haiti


A realidade econômica do mundo mostra que em geral quanto mais rico um país, mais respeito ele tem pelos direitos humanos. O contrário, infelizmente, também é fato: os países mais pobres têm uma alta carga de intolerância.
O Haiti está no segundo grupo. Na nação mais pobre das Américas, com quase metade da população analfabeta, a vida dos LGBT é um inferno. De acordo com o “The Huffington Post”, cerca de mil pessoas foram às ruas do país, na sexta-feira, 19, contra uma proposta de legalização do casamento gay por lá.
Os intolerantes estavam munidos facas e blocos de concreto, entre outras armas, e ameaçaram incendiar o Parlamento. Pior, atacavam pessoas nas ruas que poderiam ser homossexuais. Ao menos duas – supostamente homens – foram mortas a pauladas. Horas depois, os corpos ainda estavam no Boulevard Jean Jeacques Dessalines, na capital Porto Príncipe.

Em vídeos gravados durante essa cruzada homofóbica, uma pessoa que está filmando pergunta: “E se os gays continuarem a exercer seus direitos? O que vamos fazer?” e o manifestante responde: “Vamos matá-los, vamos destruí-los, porque nós não precisamos em nosso país. Queremos um homem e uma mulher. Os gays vão amaldiçoar o nosso país e já temos maldições.”

Comentários