Últimas

“O cara chamou os pretos de amaldiçoados e os pretos não fizeram nada. Aqui têm pretos?”, dispara Daniela Mercury

A estreia da cantora Daniela Mercury na 17ª Parada Gay de São Paulo, no último domingo, 2 de junho foi um dos assuntos mais comentados nas redes sociais e na imprensa brasileira. A participação da cantora em uma das maiores paradas do mundo aconteceu do alto de um trio baiano, puxado com muita animação, mas que também serviu como instrumento de militância e posicionamento da rainha do axé, que deixou claro sua paixão pela jornalista Malu Verçosa e reforçou suas bandeiras de lutas em prol das minorias. Nesse clima, Daniela discursou em nome do amor das mulheres, dos gays e dos direitos conquistados pela comunidade LGBT brasileira nos últimos tempos. Entre uma música e outra, a cantora convocava o público a se mobilizar em nome da liberdade e dos direitos humanos e foi do alto do trio que ela avistou um dos muitos cartazes (vide foto) que protestaram contra o pastor Marco Feliciano. Em seguida, ela disparou: “esse cara ainda está lá? Sabe por que ele ainda está lá? Porque só os gays se mobilizaram para retirar ele de lá e mais ninguém. Cadê os pretos que foram insultados, xingados e desprezados? Ele disse que os pretos eram amaldiçoados e os pretos não fazem nada. Não têm pretos por ai, não?”. Ao fechar seu discurso com a canção Subir a Ladeira do Pelô, Daniela foi mais uma vez ovacionada pela multidão que seguia no sentido Praça da República. A rainha aproveitou para convidar paulistanos e turistas para a 2ª Semana da Diversidade LGBT de Salvador, que acontecerá de 2 a 8 de setembro.

Comentários