Últimas

Museus do IPAC terão seus horários alterados durante Copa das Confederações


Por conta da realização da Copa das Confederações até o dia 30 de junho, dos festejos juninos e do feriado do dia 2 de julho, os museus vinculados ao Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC) terão seus dias e horários de funcionamento modificados durante este período. Nesta quarta, 19 de junho, Solar Ferrão, Museu Abelardo Rodrigues, Museu Tempostal e Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica estarão abertos das 12h às 15h. O Museu de Arte Moderna da Bahia, o Museu de Arte da Bahia e o Palacete das Artes funcionarão das 13h às 15h. O Parque Histórico Castro Alves receberá visitantes de 9h as 12h e das 14h às 15h.
Nos dias 20, 22, 23, 24 e 30 de junho e na terça-feira, 2 de julho, os museus estarão fechados. Somente o Museu de Arte Moderna da Bahia abrirá nesta quinta-feira (20), ocasião em que serão inauguradas as exposições Esquizópolis e Tupy Todos os Dias. Os espaços funcionarão normalmente na sexta-feira (21) e de 25 a 29 de junho. Museu de Arte Moderna da Bahia, Palacete das Artes e Museu de Arte da Bahia funcionam de terça a sexta, das 13h às 19h, e sábados, domingos e feriados, das 14h às 19h. Museu Tempostal, Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica, Museu Abelardo Rodrigues e Solar Ferrão ficam abertos à visitação de terça a sexta, das 12h às 18h, e sábados, domingos e feriados, das 12h às 17h. Já o Parque Histórico Castro Alves recebe visitantes de terça a sexta, das 9h às 12h e das 14h às 17h, e sábados, domingos e feriados, das 9h às 14h. Os espaços vinculados ao IPAC têm entrada gratuita.
Os eventos do Palacete das Artes e do Museu de Arte Moderna da Bahia que integram o projeto Cultura em Campo, da Secretaria de Cultura do Estado (Secult/BA), não serão afetados pelas mudanças, que envolvem somente seus espaços expositivos. No período da Copa das Confederações, o público pode participar de diversas atividades realizadas nos museus, a exemplo dos Projetos Cinema no Palacete e Trocando Palavras, no Palacete das Artes, e da mostra Jogando com a Imagem e do evento MAM-BA: Outras Sonoridades, no Museu de Arte Moderna da Bahia. Mais detalhes da programação estão disponíveis no blog dimusbahia.wordpress.com .

Confira a programação das exposições que estão em cartaz nos museus vinculados ao IPAC

Museu Abelardo Rodrigues

ACERVO DO MUSEU
A mostra expõe um recorte do acervo do Museu Abelardo Rodrigues, com imagens, crucifixos, pintura, oratórios, mesa de altar e santos de roca, confeccionados em materiais diversos. Nossa Senhora das Almas do Purgatório, Santo Antônio, Santa Isabel, A Sagrada Família, Nossa Senhora com o Menino, São Joaquim, Nossa Senhora do Rosário e São Miguel Arcanjo são algumas das imagens apresentadas ao público. O Museu Abelardo possui uma das maiores coleções de arte sacra do país.

Onde: Rua Gregório de Mattos, nº 45 – Pelourinho.
Quando: terça a sexta, das 12h às 18h; sábados, domingos e feriados, das 12h às 17h.
Tel: (71) 3117.6440

Museu de Arte da Bahia

SANTO ANTÔNIO – 818 ANOS DE DEVOÇÃO
Com o objetivo de apresentar a vertente da arte popular, criada tanto no Brasil como em Portugal, a mostra reúne algumas imagens, produzidas em diferentes materiais como o barro, o tecido e a madeira, de um dos santos mais populares do país datadas dos séculos XVIII e XIX, além da rara invocação “Santo Antônio, menino do Coro”. Em cartaz até o dia 30 de junho.

ACERVO DO MUSEU
O Museu de Arte da Bahia, o mais antigo do Estado, fundado em 1918, possui um acervo de inestimável valor artístico e histórico que, através das mais variadas manifestações de arte, deixa entrever aspectos significativos do passado de uma sociedade, do seu cotidiano, dos seus gostos e dos seus valores. O acervo do MAB foi constituído, essencialmente, pela reunião de duas grandes coleções privadas adquiridas pelo Estado: a de Jonathas Abbott e a de Góes Calmon.

Onde: Av. Sete de Setembro, 2340, Corredor da Vitória.
Quando: terça a sexta, das 13h às 19h. Sábados, domingos e feriados, das 14h às 19h.
Tel: (71) 3117-6902.

Museu de Arte Moderna da Bahia

TUPY TODOS OS DIAS
Esta é a segunda mostra a integrar o projeto A Sala do Diretor, que cria um espaço de exibição e uma plataforma para o encontro e diálogo entre o museu, o público e a comunidade artística. Sante Scaldaferri, Gaio, Almandrade e Tuti Minervino são apenas alguns entre os dez selecionados para este recorte, que figurarão ao lado da pintura “O Touro – Boi na floresta”, da modernista Tarsila do Amaral. Em cartaz até o dia 30 de agosto.

Quando: Terça a sexta-feira, das 14h às 18h.

ESQUIZÓPOLIS
Combinando os trabalhos premiados nos Salões de Artes Visuais da Bahia 2012 e um recorte do acervo do MAM-BA – obras que foram vencedoras das edições dos Salões de Arte da Bahia, realizados pelo museu entre 1994 e 2008 –, a mostra possui como proposta curatorial o empreendimento de uma análise crítica sobre o processo de desenvolvimento urbano e humano das cidades, compondo um diálogo com outros espaços. Neste sentido, parte da exposição acontecerá no Museu Náutico da Bahia, no Farol da Barra. Em cartaz até o dia 1º de setembro.

SALA RUBEM VALENTIM
A sala apresenta 30 obras do pintor, escultor e gravador baiano que dá nome ao local. São 20 esculturas em madeira e tinta acrílica, que representam divindades do “panteão” do Candomblé, e 10 relevos, sobre a mesma temática. As obras expostas integram a série Templo de Oxalá, que expressa uma linguagem plástico-visual-signótica ligada aos valores místicos da cultura afro-brasileira.

Onde: Av. Contorno, s/n, Solar do Unhão.                                            
Quando: terça a sexta, das 13h às 19h. Sábados, domingos e feriados, das 14h às 19h.                            
Tel: (71) 3117-6139.

Museu Tempostal

O BAIRRO DO COMÉRCIO
A exposição é composta por postais e fotos que retratam a região do Comércio, no trecho da Preguiça até o antigo Mercado do Ouro, da primeira década do século XX até os anos 80. Através de cerca de 100 imagens, apresenta aspectos históricos, urbanísticos e arquitetônicos do bairro, que foi criado para servir de ancoradouro das naus que traziam insumos de outros países, a exemplo de produtos manufaturados da Europa, e retornavam com o que se produzia por aqui (açúcar, fumo, algodão, madeiras de lei e couro). Em cartaz até o dia 13 de outubro.

PELOS CAMINHOS DE SALVADOR
A exposição retrata parte da urbanização, crescimento e modernização da capital baiana. A mostra constitui um grande apanhado de imagens e fotografias que retratam as diversas transformações ocorridas no tecido urbano da cidade, iniciadas em fins do século XIX.  Através de uma leitura histórica, é possível conferir, também, as mudanças nos hábitos e costumes ligados à vida cotidiana.

BAHIA – LITORAL E SERTÃO
A mostra apresenta a relação econômica e social desenvolvida entre duas regiões distintas da Bahia através de registros de imagens. Fotografias e postais, datadas do início do século XX, de diferentes cidades do interior do Estado, revelam a importância da nossa formação geopolítica, ressaltando o impacto da exploração colonial, do povoamento heterogêneo, e a pluralidade de atividades econômicas exercidas tanto na região litorânea quanto no sertão.

Onde: Rua Gregório de Matos, 33, Pelourinho, Salvador.
Quando: terça a sexta, das 12h às 18h. Sábados e domingos e feriados, das 12h às 17h. Tel: (71) 3117-6383.

Museu  Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica

A CERÂMICA E O TEMPO
A exposição, que conta com 47 peças em cerâmica e porcelana criadas por Verô Muniz (35 produções) e Milena Oliveira (12 produções) e nove obras de Udo Knoff, entre pratos estilizados, esculturas e painéis de azulejos, proporciona ao público uma reflexão sobre as inúmeras possibilidades desta arte milenar. Em seus trabalhos, as expositoras buscam aliar novos procedimentos às técnicas tradicionais, provocando uma expansão da produção artística. Em cartaz até o dia 30 de junho.

AZULEJOS DE UDO
Ampliada com 14 obras, sendo 12 delas do ceramista alemão Udo Knoff, a mostra constrói uma leitura histórica sobre as especificidades do cenário urbano ao apresentar mais de 300 azulejos que trazem parte significativa da arquitetura de Salvador.  A mistura de história e arte, somada ao trabalho rebuscado da coleção, contextualiza o papel social e artístico da cerâmica – legado do trabalho do ceramista alemão Udo Knoff.

Onde: Rua Frei Vicente, nº 03, Pelourinho.
Quando: terça a sexta, 12 às 18 horas, sábado e domingo e feriados, 12 às 17 horas.
Tel: (71) 3117-6389.

Palacete das Artes

O JOGO SÓ ACABA QUANDO TERMINA
Parte da programação especial do Palacete das Artes para a Copa da Confederações, a mostra traz para o público videoarte, fotografia e arte sonora, com um apanhado circunstancial do futebol atual e de suas implicações sociais e culturais. Em cartaz até o dia 11 de agosto.

RIO VERMELHO, DOS ARTISTAS E DAS ARTES
A mostra conta com pinturas acrílicas, esculturas, instalações, fotografias e textos elaborados pelo artista que retrata, através de suas obras, o cotidiano do bairro. Entre as pinturas apresentadas pelo artista estão os retratos de Zélia e Jorge Amado, Dorival Caimmy, Caetano Veloso, Dinha do Acarajé, a Índia Paraguassu e o painel “A Boemia”, uma homenagem aos boêmios do Rio Vermelho. Em cartaz até o dia 30 de junho.

MARIO CRAVO JR ESCULTURAS
A exposição comemora os 90 anos do artista plástico baiano e a sua arte. A mostra é composta por 58 peças, e tem a curadoria de Murilo Ribeiro, artista plástico e diretor do Palacete, em parceria com o artista e sua assessoria. Escultor reconhecido internacionalmente, Mario Cravo é o maior expoente da Modernidade baiana dos anos 40 e 50. Do mesmo modo que Carybé e Jorge Amado, Cravo colocou em sua obra, neste período, a essência do povo, suas tradições e crenças, seus costumes e mitos. A mostra, que tem entrada gratuita, fica em cartaz até 1º de setembro no Casarão.

Onde: Rua da Graça, 284, Graça.
Quando: terça a sexta, das 13 às 19 horas, sábados, domingos e feriados, das 14 às 19 horas.
Tel: 3117-6910

Parque Histórico Castro Alves

NOVA EXPOGRAFIA DO PARQUE HISTÓRICO CASTRO ALVES
A exposição apresenta objetos pessoais, como fotografias, cartões-postais, manuscritos, livros e indumentárias que levam o público a mergulhar no universo do mestre do romantismo brasileiro. Dentre eles, se destaca o livro Espumas Flutuantes, única edição publicada com Castro Alves ainda vivo, em 1870. O visitante também poderá ler e ouvir alguns dos principais versos sociais e românticos de Castro Alves, conhecer a família do poeta através da árvore genealógica e conferir uma homenagem póstuma, com releituras de poemas feitas em linguagem plástica por pintores da Geração 70 e telas produzidas em comemoração aos 150 anos de nascimento de Castro Alves. Condecorações, livros raros e um busto do trovador completam o ambiente.

Onde: Praça Castro Alves, 106, Centro, Cabaceiras do Paraguaçu.
Quando: De terça a sexta, das 9 às 12 horas e das 14 às 17 horas. Sábados, domingos e feriados, 09 às 14 horas.
Tel.: (75) 3681-1102.

Solar Ferrão

LUNAR – FOTOGRAFIA NA BAHIA AGORA
Com parceria e curadoria do Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA), a mostra reúne obras de 11 fotógrafos que pensam seus registros a partir da experiência e da perspectiva baiana, ampliando o olhar para além do real e do que é considerado normal sobre a Bahia. Integrantes de uma nova geração de fotógrafos baianos participam da exposição, dentre eles, Alex Oliveira, Bianca Portugal, Fernanda Sanjuan, Ivã Coelho, Karla Rubia, Lia Cunha, Nicolas Soares, Patrícia Almeida, Rogério Ferrari, Sabrina Pestana e Valeria Simões. Em cartaz até 04 de agosto.

EXPOSIÇÃO DE ARTE AFRICANA – COLEÇÃO CLAUDIO MASELLA
Apresenta a riqueza estética e a diversidade da produção cultural africana do século XX, expressada em objetos, sobretudo máscaras, estatuetas e utensílios de uso cotidiano ou ritualístico. Doadas ao Governo do Estado da Bahia, em 2004, pelo industrial italiano Claudio Masella, as obras representam vários estilos étnicos das sociedades africanas.

SMETAK – O ALQUIMISTA DO SOM
As “Plásticas Sonoras” – criadas por Walter Smetak (1913-1984) e consideradas obras de arte por críticos e pesquisadores podem ser conferidas na mostra de longa duração Smetak – O Alquimista do Som. As peças do acervo da família do músico suíço foram restauradas e expostas apenas no Museu de Arte Moderna da Bahia e no de São Paulo, em 2007 e 2008.

EXPOSIÇÃO DE ARTE POPULAR
A Coleção de Arte Popular reúne peças representativas da Cultura Popular do Nordeste. O acervo reunido por Martim Gonçalves e, posteriormente, ampliado pela arquiteta italiana Lina Bo Bardi é composto por peças utilitárias e figurativas, dentre elas carrancas, ex-votos, imaginária, esculturas em cerâmica, fifós, panelas, potes de barro, brinquedos, utensílios domésticos e objetos criados a partir de materiais recicláveis, que mostram uma sintonia entre a arte e a vida cotidiana.

Onde: Rua Gregório de Mattos, nº 45 – Pelourinho.
Quando: terça a sexta, das 12h às 18h; sábados, domingos e feriados, das 12h às 17h.
Tel: (71) 3117.6357

Serviço:

O que: Horários e dias de funcionamento dos museus do IPAC durante a Copa das Confederações
Quando:
19 de junho
12h às 15h - Solar Ferrão, Museu Abelardo Rodrigues, Museu Tempostal e Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica
13h às 15h - Museu de Arte Moderna da Bahia, Museu de Arte da Bahia e Palacete das Artes
9h as 12h e das 14h às 15h – Parque Histórico Castro Alves
20, 22, 23, 24, 30 de junho e 2 de julho - os museus fecham. (Somente o MAM-BA abrirá no dia 20).
21 e 25 a 29 de junho – espaços funcionam normalmente.
Onde: Solar Ferrão, Museu Abelardo Rodrigues, Museu Tempostal, Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica, Museu de Arte Moderna da Bahia, Museu de Arte da Bahia, Palacete das Artes e Parque Histórico Castro Alves.

Comentários