Últimas

CRIA encerra projeto Diga Aí, povo do Pelô com espetáculo teatral gratuito no Centro Histórico



O Centro de Referência Integral de Adolescentes - CRIA celebrará nestaquarta-feira (24), a partir das 15h, no Largo Pedro Archanjo, o encerramento do projeto Diga Aí, Povo do Pelô!. Durante a comemoração será realizada aapresentação gratuita do espetáculo Um Dia, Um Quintal..., do grupo Mais de Mil. Estarão presentes na cerimônia de abertura do evento a diretora doCentro de Culturas Populares e Identitárias - CCPI, Arany Santana e o diretor geral do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural – IPAC, Frederico Mendonça.

O projeto Diga Aí, Povo do Pelô! é resultado de uma parceria firmada entre o CRIA, o Fundo de Cultura da Bahia, da Secretaria de Cultura da Bahia - SecultBa, o Programa Pelourinho Cultural e o IPAC. “Durante oito meses, foram realizadas atividades de formação para a população do Centro Histórico visando ao fomento de diálogos entre diferentes instituições, promovendo uma troca de experiências e trazendo debates temáticos importantes no campo de promoção dos direitos e proteção da população”, afirma a Coordenadora Geral do projeto, Eleonora Rabelo.

As ações artísticas do projeto ficaram por conta dos vários grupos culturais do Pelourinho e do CRIA, além das Rodas de Conversa, que trouxeram especialistas em temas específicos para aprimorar os debates; e dos encontros do Pipoca & Papo, uma conversa sobre literatura com  autores como Fábio Mandingo, do livro “Salvador Negro Rancor”.

“O CRIA tem seu trabalho pautado nos direitos humanos e na valorização cultural das populações tradicionais e o Pelourinho é um território de valor histórico e cultural incalculável, guardião de memórias e identidades. O nosso sentimento é de desafio. Desafio para o trabalho em rede e na mobilização e valorização da expressão cultural da população local”, disse Irene Piñeiro, Coordenadora da Área de Saúde do CRIA.

Para Arany Santana, que é conselheira-fundadora do Centro, o CRIA é o mais importante projeto para a formação cultural de jovens da periferia realizado em Salvador. “Eu não conheço um jovem que não tenha caminhado na direção para a conquista da cidadania plena depois de ter passado pelo CRIA. Eu conheci jovens de escolas públicas que passaram pelo projeto e foram aprovados no vestibular da UFBA muito antes de se ouvir falar em cursinhos pré-vestibulares e eu tenho certeza de que a arte foi um fator decisivo no acesso ao conhecimento e na busca pela cidadania plena por parte desses jovens", elogia Arany.


Comentários