Últimas

EMPRESÁRIOS BAIANOS RUMO À NOVA YORK



Na manhã desta quinta feira, empresários e representantes de empresas baianas se reuniram no ZANK HOTEL para discutirem a participação da Bahia no evento TARGET BRAZIL, que acontecerá dias 14 e 15 de novembro no Waldorf Astoria Hotel em Nova York. O evento, realizado pela BUFFALO INVEST, e idealizado pelo seu Diretor, André Barbierato, visa apresentar o Brasil como uma oportunidade de investimento única e diferenciada para a comunidade financeira internacional.

Durante os dois dias, os empresários brasileiros terão a oportunidade de apresentar suas empresas e expor seus negócios para potenciais investidores, numa espécie de Road Show coletivo, que promete maximizar os investimentos estrangeiros no país e estreitar a relação entre esses investidores a as empresas brasileiras. Segundo Barbierato, idealizador do evento, a Bahia tem um papel fundamental nesse contexto, pois é um estado que está em franca expansão: “Salvador é a capital do nordeste e o PIB do nordeste cresce a uma taxa média anual de 15% em contraposição ao crescimento do PIB nacional”, comenta Barbierato.

Depois de Nova York, o evento segue para Zurique (Suiça) em fevereiro de 2013, Hong Kong (China), entre outras capitais financeiras do mundo.

Maiores detalhes podem ser encontrados em um vídeo explicativo através do seguinte link: http://www.youtube.com/watch?v=38KQMedwnUo&feature=youtu.be

CONTEXTO E DADOS IMPORTANTES:

Eles são chamados BRICs: Brasil, Rússia, Índia e China. Durante os últimos anos, esses países passaram por um enorme crescimento econômico e atraíram os investidores.

No passado, analistas financeiros mostraram-se sempre preocupados com a capacidade destes países em resistir ao colapso econômico global. Hoje, com o mundo emergindo da crise de liquidez mais profunda já vista, uma coisa é certa: Os BRICs serão o principal motor da economia mundial nos próximos 50 anos.

Tomemos o Brasil como exemplo: hoje, o Brasil ultrapassou o Reino Unido, tornando-se a 6ª maior economia do mundo. Com mais de U$ 350 bilhões em reservas de capital e um forte mercado interno. Desde 1994, tem conseguido, com sucesso, manter a inflação sob controle. O Brasil conseguiu gerenciar e harmonizar o crescimento e reduzir a taxa de inflação gerando estabilidade.

Os analistas preveem um desempenho ainda melhor para os próximos anos. A mistura de inflação baixa e estabilidade resultou em uma melhor distribuição de renda.

Vejamos os números:

·  De 2003 a 2009, a classe média brasileira aumentou de 44% para 52% da população, o que significa que mais de 50 milhões de pessoas se juntaram à classe média em apenas seis anos.
·  De 2006 a 2007, o investimento estrangeiro direto no Brasil quase dobrou, passando de U$18,7 para U$35 bilhões de dólares. Em 2010, esses investimentos chegaram a U$48 bilhões. 
·  O Brasil apresenta baixo nível de alavancagem financeira e sua proporção de crédito sobre PIB é de 56%. A zona do euro tem uma proporção de 133% e nos países desenvolvidos, este índice é de 168%. Nos Estados Unidos, esta proporção é de 202%.

O cenário apresentado acima, torna o Brasil menos vulnerável do que muitos outros países (em uma crise de liquidez em potencial) e preparado para apresentar seus mais valiosos ativos: suas empresas (modelo de arte no gerenciamento); um mercado em rápido crescimento com enormes oportunidades e total transparência.

Comentários