Últimas

Dia Mundial do Orgulho Gay é celebrado em Simões Filho



Balões coloridos, faixas, cartazes, a bandeira do arco-íris e palavras de ordem farão parte de um ato que irá celebrar o Dia Mundial do Orgulho Gay em Simões Filho, município da Região metropolitana de Salvador, no próximo dia 28 de junho, a partir das 10h. O evento acontecerá na Praça Bíblia.

LUTA

Os gays lutaram para ter um dia no ano. Tudo começou em 28 de junho l969, em Nova York, quando os homossexuais, cansados de apanhar da polícia, que toda noite invadia seus espaços de lazer, reagiram e ganharam a batalha contra a prepotência policial. Nos anos seguintes, os homossexuais do mundo inteiro adotaram 28 de junho como o "Dia do Orgulho Gay", também chamado de Dia da Consciência Homossexual. Nas principais cidades do mundo os gays, lésbicas, bissexuais, travestis, transexuais e simpatizantes enchem as ruas.

Pesquisas científicas indicam que de cada quatro famílias, uma tem um filho ou parente homossexual, e que os gays e lésbicas representam por volta de 6 a10% da humanidade 17 milhões só no Brasil. Cientistas e associações médicas e psicológicas também garantem que nada distingue, biológica e psicologicamente, os homossexuais dos heterossexuais ou bissexuais, e que o preconceito contra esta minoria sexual, cientificamente chamado de “homofobia”, além de desumano, revela imaturidade sexual da parte de quem o pratica e contravenção contra os direitos humanos.

Diversidade que inclui no panteão dos homossexuais célebres, grandes vultos da história humana, como Platão, Alexandre Magno, a poetisa Safo, Tchaikovsky, Mario de Andrade, Cazuza, Cássia Eller, e nada menos que o nosso querido inventor do avião, Santos Dumont, que apesar de não ter “saído da gaveta”, é referido em suas principais biografias como adepto do “amor que não ousava dizer o nome” (Oscar Wilde). Amor que hoje, cada vez mais, milhões de homens e mulheres têm o orgulho de assumir: “é legal ser homossexual!”, segundo o Antropólogo Luiz Mott (GGB).
 Mostra Cem Nelson completa os seus três dias de homenagens ao dramaturgo Nelson Rodrigues, HOJE (20), com a apresentação da aclamada peça A Serpente, no Cine Cena Unijorge, às 19h30. Desde segunda-feira, o público baiano pode conferir a vida de Nelson e as obras que influenciam até hoje os escritores da vida cotidiana. A mostra é uma produção dos estudantes do curso de Produção Cultural da Universidade Federal da Bahia e recebe o apoio do Cine Cena.
Veja outras noticias aqui www.doistercos.com.br 

Comentários