Últimas

Salvador sediará I Congresso do Movimento Nacional da População de Rua


É fato que parte expressiva da sociedade vê no morador de rua uma figura em estado de mendicância, sempre um potencial pedinte, usuário de drogas ou um sujeito à margem, pronto para cometer delitos. O que escapa ao recorrente preconceito, é que a população de rua possui movimentos organizados, e que está a cada dia condensando forças na luta pelo reconhecimento da sua dignidade e cidadania.
A prova concreta disso é o I Congresso do Movimento Nacional de População de Rua, que acontecerá entre os dias 19 e 21 de março, no Centro de Treinamento de Líderes, em Itapuã, Salvador – Bahia. Tendo como tema “Protagonizando Histórias e garantindo direitos”, o evento contará com a presença de representantes da maioria dos estados brasileiros, numa expectativa de participação de 400 pessoas, sendo a maioria expressiva de moradores de rua.
O Congresso é um antiga aspiração do Movimento, que encontra-se organizado em 10 capitais do país. Ao longo dos últimos anos, o Movimento vem realizando encontros de abrangência local, como o Encontro de Políticas Públicas para População de Rua, realizando em Salvador, em setembro de 2010, na perspectiva de ir construindo uma pauta propositiva para encaminhamento junto aos poderes públicos. O I Congresso do Movimento Nacional da População de Rua vem demarcar um momento importante nessa caminhada, demonstrando a força e a capacidade de organização de cidadãos tão invisibilizados.
Para realizar o encontro, o Movimento conta com o apoio do Ministério da Saúde, Secretária Direitos Humanos da Presidência da República, Defensoria Publica do Estado da Bahia, Secretaria de Justiça da Bahia, Paróquia Nossa Senhora da Luz, Voluntária Sociais da Bahia e Secretaria do Desenvolvimento Social do Estado da Bahia. Ressalte-se que os encaminhamentos do Congresso serão formulados, aprovados e encaminhados exclusivamente pela população de rua.
Protagonizando Histórias e garantindo direitos
Embora os dados que se tem atualmente possam ser questionados, estima-se que haja, nas 10 principais capitais brasileiras, mais de 100 mil cidadãos vivendo em situação de rua. Em Salvador, a estimativa se aproxima de cinco mil pessoas, entre crianças, jovens e adultos. Para essa população, nunca houve políticas públicas claras e direcionadas. As soluções sempre foram paliativas e baseadas em assistencialismos pontuais, focados em apenas um ou outro aspecto da realidade. Estigmatizada, a população de rua jamais é levada em conta na formulação das políticas de educação, saúde, moradia, segurança e assistência social, pois sequer é recenseada, então não existe!
Todas essas questões serão pautas de discussão e formulação de propostas durante o I Congresso. Haverão grupos de trabalhos debruçados em refletir e propor políticas nas searas da saúde, direitos humanos, habitação, trabalho, assistência social e comunicação.

Programação:
Dia 20
07:00 – Café da manhã
08:00 – Intervenção Cultural
 08:15– Grupos de Trabalho
saúde, Lucia
 direitos humanos, Anderson
habitação, Leonildo
 Trabalho; antonia
 assistência social, Samuel
 comunicação; Jose Carlos
 12:30   Almoço
14:00 INTERVENÇÃO CULTURAL – TEATRO DA PM
14: 30Mesa temática: Relação deParcerias
14:45 intervalo para o café
15:15 Debate e Reflexão
16:00 informes do dia
19:30 – Atividade Cultural
        
Dia 21:00
07:00 café da manhã
08:00 Relatório dos Grupos de Trabalhos
11:20  Resumo das discussões em grupo  
12:00  Aprovação das Prioridades
12:30 Encerramento (Grande Ciranda)         


 Serviço:
Evento: I Congresso Nacional de População de Rua
Data: 19 a 21 de março de 2012
Local: Centro de Treinamento de Líderes (CTL – Itapuã)
Mais Informações:
Coordenação Bahia do Movimento Nacional da População de Rua
Coordenadora: Maria Lúcia Pereira
Tel.: (71) 3266 0034 / (71) 8849 0152

Fonte: Movimento População de Rua de Bahia

Comentários