Últimas

Travestis vão ser alvo da campanha de prevenção no Carnaval



Pela primeira vez no Brasil, as travestis vão ser foco da campanha de prevenção a aids do Ministério da Saúde no Carnaval. A ação vai ser realizada por meio de cartazes, mídias e redes sociais. Em um dos cartazes, um rapaz e uma travesti aparecem juntos como um casal, pulando Carnaval. A ideia é mostrar que esse tipo de situação é normal e que o único problema em qualquer relação de Carnaval é se esquecer do uso da camisinha. O objetivo é conscientizar todos os brasileiros, independente da opção sexual, da importância do uso do preservativo. O diretor adjunto do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Eduardo Barbosa, explica porque as travestis são vulneráveis à doença.
“É especificamente por conta de um período de festa onde também a presença delas é bastante significativa e marcante. Tem a questão da vulnerabilidade a que essas travestis estão submetidas no contexto diário. Então diante da transfobia, de toda violência que acontece e ao mesmo tempo diante do numero de novos casos de aids entre a população LGBT. Nós não temos ainda uma diferenciação dentro dos nossos bancos de dados. Mas nós já temos uma identificação de que é uma população que enfrenta maior problema para acessar o serviço de saúde, para pode ter acesso ao diagnóstico, para poder buscar o tratamento”.
Além das travestis, a campanha de prevenção a aids no Carnaval vai focar também jovens de 15 a 24 anos, gays e heterossexuais. A campanha do Ministério da Saúde deve ser lançada próximo ao Dia Nacional da Visibilidade de Travestis, comemorado em 29 de janeiro. O diretor adjunto do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais ressalta que assim como nas campanhas dos anos anteriores, após o Carnaval, serão veiculadas mensagens de estimulo ao diagnóstico do HIV com a realização do teste rápido.
Fonte: Ministério

Comentários