Últimas

Temporada Verão Cênico estreia em Salvador


Nesta segunda-feira, 5 de dezembro, será aberta a Temporada Verão Cênico, projeto de difusão do Teatro da Bahia que reúne espetáculos de diversos formatos: de palco, de rua e cenas propostas por grupos de teatro amador de todo o estado. A estreia se dá em Salvador com a premiada montagem O Inspetor Geral, do Teatro Popular de Ilhéus, às 19 horas, no Largo Quincas Berro d’Água (Pelourinho), com entrada gratuita e confraternização após a peça, comandada pelo DJ Sankofa. A programação da Temporada segue por todo o verão, até o final de fevereiro, num total de 150 apresentações promovidas na capital e em cinco cidades do interior baiano.
A Temporada Verão Cênico é realizada pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), através da Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB) e Centro de Cultura Populares e Identitárias (CCPI), órgão responsável pela programação cultural do Pelourinho. Trata-se de uma iniciativa inédita que visa estimular a difusão, a diversidade, a acessibilidade e a atuação em rede do teatro baiano. Com esta ação, uma mostra da produção teatral contemporânea da Bahia é introduzida no calendário do verão, em sessões às segundas e quartas-feiras, além de performances nas ruas em variados dias da semana, somando-se à já vasta oferta das artes cênicas em atividade no período e, assim, consolidando o mote de que “de segunda a segunda, tem Teatro na Bahia”. A ideia, portanto, é de fortalecer as atividades deste cenário e dar visibilidade ao teatro baiano em sua grande potencialidade, e não apenas dos trabalhos que integram o projeto, como uma opção de cultura durante a estação em que a Bahia se veste de festas e manifestações.
Outro objetivo do projeto é fomentar a relação entre artistas e espaços culturais, atendendo ao interesse de estruturar uma rede produtiva sólida, em que as casas de espetáculos reforcem seus perfis diversificados e atuem também como programadores culturais. Para tanto, a FUNCEB consolidou parceria com 10 espaços culturais do estado: na capital, estão o Espaço Xisto Bahia, Sala do Coro do TCA, Teatro Gamboa Nova, Teatro Módulo e Theatro XVIII; no interior, fazem parte o Centro de Cultura Amélio Amorim (Feira de Santana), Centro de Cultura Antônio Carlos Magalhães (Jequié), Centro de Cultura Camillo de Jesus Lima (Vitória da Conquista), Centro de Cultura de Porto Seguro e o Centro de Cultura Olívia Barradas (Valença).
A lista de espetáculos profissionais que participam daTemporada Verão Cênico foi montada através de seleção por edital público, lançado pela FUNCEB em setembro passado. Foram contabilizadas 96 propostas de espetáculos de todo o estado. Os 34 selecionados se dividem em duas categorias. Na primeira, “Temporada Pelourinho”, três montagens se apresentam nas segundas-feiras de dezembro, janeiro e fevereiro em palcos do Pelourinho, gratuitamente, num total de 12 sessões. O retorno do teatro ao Centro Histórico de Salvador atende à demanda da comunidade e dos comerciantes da região, diversificando e requalificando o uso dos largos do bairro. Na segunda categoria, “Quarta-Feira a R$ 1,00”, 31 peças são encenadas às quartas-feiras de janeiro e fevereiro, nos espaços culturais que integram o projeto, com ingressos ao valor simbólico de R$ 1.
Além destes espetáculos, a Temporada Verão Cênico abre espaço para o teatro amador e o teatro de rua com a Mostra Faça a sua Cena, que promoverá 60 apresentações de 34 grupos amadores em cenas e peças curtas e de 30 apresentações de 10 grupos de rua, em performances em ruas e festas populares de Salvador. A seleção destes trabalhos foi feita pela comissão organizadora do Festival de Teatro Amador da Bahia (Centro Cultural Ensaio), pela Rede Encena Salvador e pelo Movimento de Teatro de Rua da Bahia.
Campanha Temporada Verão Cênico – “O teatro é feito de vida. Está em todos os lugares”, afirma Fernando Marinho; “Materializa sonhos, deixa a realidade mágica”, completa Gideon Rosa. “Cada espetáculo é como um beijo: não pode ser dado por telefone”, diz Evelin Buchegger; “Todo espetáculo teatral é uma missa de corpo vivo, presente”, acrescenta Harildo Deda. “De segunda a segunda, tem teatro na Bahia”, categoriza Claudia di Moura; “O que é que você vai fazer no seu verão? O mesmo de sempre?”, pergunta Jussara Mathias.
A campanha de vídeos da Temporada Verão Cênico, em sua primeira etapa, reúne estes seis atores da Bahia, que se voluntariaram a contribuir com a iniciativa, em três VTs dirigidos por Fabio Espírito Santo. Fernando Marinho e Gideon Rosa interpretam texto de Cleise Mendes, Harildo Déda e Evelin Buchegger consagram texto de Fabio Espírito Santo, e Jussara Mathias e Claudia di Moura são vozes para texto de Elísio Lopes Jr.
Numa segunda etapa, um quarto VT, dirigido por Elísio Lopes Jr. e com texto de Aninha Franco, será estrelado por Rita Assemany e Jackson Costa, também voluntários. Os conteúdos reafirmam o incentivo à ida ao teatro e à formação de plateia, o valor da produção do teatro baiano e a importância do trabalho conjunto entre classe artística e poder público para o desenvolvimento das artes cênicas da Bahia.
A campanha será lançada no dia e local da estreia daTemporada Verão Cênico e veiculada a partir de então pela Rede Bahia, apoiadora do projeto.
O espetáculo de estreia: O Inspetor Geral  Comédia do Teatro Popular de Ilhéus, O Inspetor Geral apresenta texto em cordel, escrito por Romualdo Lisboa – que também assina a direção do espetáculo –, e traz outros elementos da cultura popular nordestina, como cancioneiro, xilogravura e teatro de bonecos. No elenco, estão Hermilo Menezes, Tânia Barbosa, Potira Castro, Elielton Cabeça, Rogério Matos, Ely Izidro, Guilherme Bruno, Takaro Vítor e Aldenor Garcia. Para este trabalho, o grupo se inspirou no Movimento Armorial, encabeçado por Ariano Suassuna nos anos 1970.
Selecionado pelo SESI-SP no edital de montagens inéditas, O Inspetor Geral é a segunda parte da comédia Teodorico Majestade – As Últimas Horas de um Prefeito, estreada em 2007. Em Teodorico, o prefeito é cassado, dando lugar ao vice.O Inspetor Geral apresenta os eventos que ocorrem com Gilton Munheca, ex-vice prefeito, depois de receber a notícia de que um inspetor do Governo Central visitará Ilha Bela para saber a quantas andam a administração do lugar.
Fundado em 1995 pelo ator e diretor Équio Reis, o Teatro Popular de Ilhéus tem dezenas de montagens no currículo e faz intervenções artísticas nas comunidades de sua região. Desde o início, as manifestações da cultura popular estiveram inseridas na tentativa de retomar a própria identidade cultural e o teatro popular como mecanismo de transformação social. As ações se alinham à pesquisa sobre o Teatro Épico de Bertolt Brecht. O grupo se destaca pelo processo continuado de pesquisa estética, realizando temporadas na Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo.
TEMPORADA VERÃO CÊNICO
Espetáculo de estreia: O Inspetor Geral, do Teatro Popular de Ilhéus
Data da estreia: 5/12 (segunda-feira), às 19 horas
Local: Largo Quincas Berro d’Água (Pelourinho)
Quanto: Gratuito
Realização: FUNCEB/ Centro de Culturas Populares e Identitárias/ SecultBA
Parceiros: Festival de Teatro Amador da Bahia, Rede Encena Salvador e Movimento de Teatro de Rua da Bahia
Apoio: Rede Bahia
Espaços culturais parceiros: Em Salvador: Espaço Xisto Bahia, Sala do Coro do TCA, Teatro Gamboa Nova, Teatro Módulo e Theatro XVIII. No interior: Centro de Cultura Amélio Amorim (Feira de Santana), Centro de Cultura Antônio Carlos Magalhães (Jequié), Centro de Cultura Camillo de Jesus Lima (Vitória da Conquista), Centro de Cultura de Porto Seguro e Centro de Cultura Olívia Barradas (Valença).

Comentários